geral

Cansado de videoconferencias?

Victor He – Unsplash

Pode parecer estranho que, estando em casa, sem o stress do transito, ir buscar as crianças e deslocar entre reuniões, o cansaço seja maior que antes.

Isto quando boa parte do dia foi passado a olhar para uma janela onde alguém falava e raramente teríamos de responder, ou quando fizemos menos reuniões que num dia dos antigamente “normais” dias de trabalho.

Há várias razões para isso, sendo que as principais é a nossa pressão (ou a pressão que nos colocam) em responder às mesmas várias coisas que antes tínhamos em cima da mesa: emails, mensagens, posts, chamadas de voz e de video, leitura de documentos, assinaturas que deixam os processos parados… e até aquela factura da luz de casa que ja está atrasada no pagamento. Tudo isto mantendo a cabeça fixa, olhando em frente da câmara para parecermos verdadeiramente atentos. Horas a fio…

Existem no entanto algumas dicas que consideramos válidas:

  • Evite realizar várias tarefas em simultâneo – na verdade nunca é em simultâneo…
  • considere as pausas como essenciais e a duração das chamadas controlada para as garantir
  • redução os estímulos visuais no ecrã, de preferencia sem mensagens a saltar, a sua imagem de video, os fundos dos seus colegas… de preferencia mantenha só visível o video de quem esta a falar
  • Coloque a opção de chamada telefónica ou conferencia sem video. A técnica de usar um slide partilhado no ecrã pode ser uma forma de focar no conteúdo e não nas caras dos participantes.
  • Iniciar as chamadas só com audio é uma hipótese, por vezes até mais correcta, para evitar a sensação de “intrusão”.
  • Defina um horário de trabalho e evite que as aplicações e mesmo telefones toquem da mesma forma fora desse horário. As empresas que queiram potenciar o teletrabalho devem compreender e respeitar os horários de lazer como parte essencial da qualidade de vida dos seus funcionários
  • Organize melhor os fluxos de comunicação pelo menos dentro do seu grupo de trabalho. O estar distanciado fisicamente não permite perceber o que se passa ao nosso lado e por isso devem estar melhor definidas as funções de quem recebe e como se comunica de forma eficiente.

Pode ainda ler o artigo que serviu de inspiração, em inglês.